Antonio Sodré

Antonio Fernando Sodré Júnior, ou simplesmente, Antonio Sodré, é ludovicense, vive em São Luís, e é assumidamente sagitariano. Publicou seu primeiro livro, POEMAS AVULSOS, em 2015. Mas antes, teve alguns textos selecionados para publicação em revistas, coletâneas e antologias. Define-se como um escritor que não se leva muito a sério, mas que leva muito a sério a Literatura.

Conheça as obras do autor

Esgotado

SINOPSE DO LIVRO

Poemas avulsos é o resultado de um tempo maior dedicado à poesia. Você pode começar a lê-lo por qualquer parte: do ínicio, do meio, ou do fim. Não existem sequências ou um fio condutor que norteiem a obra. Neste livro, o tema são os temas. Daí, o seu título. A temática varia entre o intimismo, a subjetividade de cada sentimento vivido, a denúncia social, a morte, as relações amorosas e a vida. Mas longe de ser um diário de emoções, o livro une o particular e o coletivo, toca-nos por nos envolver em seus versos. 

FICHA TÉCNICA:

Gênero Literário - Poesia

Edição: 2015

Dimensões: 14 cm X 21 cm

Páginas: 70

Editora:MULTIFOCO

WhatsApp Image 2021-10-25 at 15.32_edited.jpg

SINOPSE DO LIVRO

[Des] Amores é a metafísica do amor multidimensional. Em suas diversas formas, sem um conceito imutável, assim ele aparece desenhado em linhas poéticas. Apresentando, às vezes, como ordem cósmica, que une sentido e coerência, ou como arte, em seus fios de imaginação, ou ainda enquanto síntese do antagonismo amor-paixão; paixão que é não a fonte de desequilíbrio, senão o tempero que dá à alma a completude. Amor que, subjacente às abstrações e às proposições subjetivas, vai emergindo como algo simples ao humano; amor que vem como uma coisa dada, pintado ora como elemento indomável, como destino fugindo às rédeas humanas, ou, controversamente, coo sentimento a lapidar; amor que não é prontidão nem fórmula mnemônica, mas cedente à carência e ao vazio, fruto, quem sabe, não da magia perfeita do acerto, mas também do desamor e da desordem. Amor com definição no aparente, na crueza objetiva da realidade, mas que no mundo do sonho, em fantasias, se faz sublimar. Nas entrelinhas, amor como espanto de se fundirem num só copo substâncias tão incompatíveis. O amor no antiamor, o amor tão contrário a si mesmo, como diria Camões. Seja o que for, aqui o amor vem direcionado ao outro, emergindo também como autoamor. Ao ler [Des] amores elaboramos nosso próprio [des]conceito do amor, porque ele, se por um lado se quer idiossincrático, por outro se quer múltiplo, plural.

FICHA TÉCNICA:

Título: [Des] amores

Autor: Antonio Sodré

Categoria: Poesia

Ano: 2017

Edição: Editora Penalux

ISBN: 978-85-5833-173-9

130 g | 14 x 21 cm | 66 páginas